Bebê morre após parto induzido em Guaratinguetá – Família denuncia hospital

29 de janeiro de 2019

Familiares de uma jovem, de 21 anos, que acabou perdendo o filho após parto induzido denunciam o Hospital Maternidade Frei Galvão de Guaratinguetá por negligência e omissão.

De acordo com a Valdirene, tia da Brenda Natália Alexo de Oliveira, ela chegou à unidade no domingo (27) com fortes dores e, após ser atendida disseram para que ela voltasse para casa, devido a criança não estar encaixada por estar de 37 semanas.

Na manhã de segunda-feira (28) por volta das 10h, Brenda retornou no Pronto Socorro novamente e, acabou sendo internada para que o parto fosse induzido, após ter passado a noite em casa com muitas dores.

Veja o relato de Valdirene

“Minha sobrinha ficou desde das 12h até 18h30, com dores. Nesse intermédio, a médica me informou que iria aplicar um remédio na Brenda, para que aumentasse a contração. Nisso, acabei pedindo para a doutora fazer uma cesárea, caso a contração não evoluísse, mas não foi isso que ocorreu, minha sobrinha teve o parto induzido a todo momento.

Em seguida, eu estava no corredor da maternidade quando vi uma enfermeira passando com uma criança, com o corpo roxo. Em seguida, me informaram que era o filho da minha sobrinha que havia nascido. De imediato, eu desci no berçário para ver o que estava acontecendo, onde fui proibida pela enfermeira de ver a criança. Além disso, fui informada que a pediatra não foi localizada para atender o bebê naquele momento, nisso chamei a enfermeira novamente e me disse que o Téo tinha tido um probleminha durante o parto e teve que ser entubado para ser prestado os primeiros socorros.

Depois de 45 minutos, a pediatra apareceu, examinou o bebê e me informou que ele estava indo para Unidade de Tratamento Intensiva por ter engolido fezes e muita água da placenta, e me disse que ele não estava bem, com muita dificuldade para respirar. Na manhã dessa terça-feira (29) fui informada que o Téo teve uma Parada Cardiorrespiratória, não resistiu e entrou em óbito às 11h30”, lamentou.

Em nota, o Hospital Maternidade Frei Galvão informou que está sendo apurado o que ocorreu e, no momento ninguém da unidade está autorizado a falar. E, informou também que a direção da Maternidade estará a disposição para esclarecimentos após apuração dos fatos.

Clique aqui e comente no Facebook do Jornal de Guará